sábado, 26 de fevereiro de 2011



Eu sentia profunda falta de alguma coisa que não sabia o que era.
Sabia só que doía, doía. Sem remédio.

- Caio Fernando Abreu-